Pesquisar este blog

Título: Extraordinário
Autora: R. J. Palacio
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Ano: 2013

Sinopse: August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros. Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade - um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo tipo de leitor.

Tem dias que eu venho procrastinando, não apenas por preguiça, mas também por não saber como fazer essa resenha, geralmente quando eu leio um livro tão bom como esse eu fico sem saber como me expressar, eu fico querendo convencer a todos que devem ler, mas acabo não conseguindo escrever nada.

Fazia tempo que eu queria ler, já tinha visto em alguns blogs sobre o lançamento do livro e havia gostado muito da resenha e da capa, ai o namorado lindo me deu e eu pude ler esse livro extraordinário (O que? Não posso mais usar clichês?), enfim, é sempre muito difícil falar de algo muito bom, da sempre a impressão que você ficou devendo informações.
“Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo.”
August nasceu com algumas deformações faciais, depois de muitas cirurgias e de ter a saúde estabilizada, eis que seus pais decidem que é hora dele começar a frequentar a escola como a maioria das crianças, então Auggie ingressa no 5° ano do ensino fundamental...

Pela sinopse pode aparecer apenas mais um livro de superação pessoal, mas “Extraordinário” vai muito, além disso. August ou Auggie como costumam o chamar, tornou se um dos meus protagonistas favoritos, gostei muito da forma que autora o colocou, longe daquela apelação emocional, de grandes dramas para comover o leitor, eu adorei a forma em que foi narrado, alternando em pontos de vistas das pessoas que convivem com ele.

O que me chamou bastate a atenção foi a forma como as coisas são descritas, tão naturais que eu conseguia até me lembrar da época de escola, do comportamento dos alunos separados em grupinhos fechados e de várias outras coisas.
"Grande é aquele cuja força conquista mais corações pela atração do próprio coração.”
Sem dramas desnecessários, sem chororo, quando Auggie raramente se lamentava de algo, era de algo totalmente compreensivo, seus pais não eram do tipo pais de filme que são perfeitos, eles cometeram erros, tanto que acabaram negligenciando Olivia a filha mais velha, que agora adolescente começa a confundir os sentimentos em relação ao irmão e pela primeira vez sente vergonha dele, eu adorei a forma como a personagem foi construída, ela sempre foi uma irmã super-protetora, brigava com quem falasse algo de Auggie os momentos que ela se pegava pesando em coisas ruins a respeito do irmão e a culpa que ela sentia por isso, os conflitos do ensino médios, os amigos mudando de comportamento e ela também, mas sem perceber, o namorado músico e nerd Justin que apesar de pouco aparecer, nos poucos momentos foi bastante importante para a história toda.

Jack foi outro personagem incrível, no começo do livro quando ele apareceu, eu não imaginava que ele seria o personagem que foi, tornou se amigo e protetor de August e mesmo dando uma pequena pisada na bola, que para mim, foi totalmente compreensivo, ele se mostrou fiel e companheiro o tempo todo, como eu disse, no começo eu me enganei tanto com ele que pensei que Charlotte fosse se tornar amiga de August e não ele.

E Summer uma fofa, apareceu na história de uma forma tão simples e bonitinha, fiquei desconfiada com ela no começo por antes andar com umas meninas que riam de August, mas não, eu só esperava mais coisas sobre ela, mais momentos dela com August, mas foi bom mesmo assim.

O livro mostra também como as crianças podem ser cruéis quando querem, como a escola pode bagunçar a cabeça de uma criança que já tenha algum problema e como a negligência de alguns pais pode tornar o filho um ser tão cheio de maldade e inveja que era o caso de Julian que quase tornou impossível a frequência de August na escola.
"Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil".
Dr. Wayne W. Dyer (Professor que todo mês passava na lousa um preceito para os alunos discutirem e escrevem os seus próprios)

Gostei tanto de Miranda e seu jeito todo errado de fazer as coisas certas, se afastou de Olivia pelo desejo enorme de ser parte da família dela, de na verdade ser como Olivia, achei tão humana as atitudes dela que não tive como não sentir compaixão dela.

Extraordinário é um livro encantador, a narrativa é simples e gostosa,  o livro flui de uma maneira tão boa que a leitura não se torna cansativa nunca, tanto que quando acabei o livro eu fiquei triste,  queria saber do futuro do pequeno August, de como seria sua vida adulta e como ele iria lidar com tudo que ainda está por vir. Aquele garotinho tão esperto, sarcástico fã de Star Wars e completamente ciente do seu problema, que conseguia lidar da melhor forma que uma criança pode lidar com uma coisa dessas, encanta qualquer um, o problema maior é que você começa a ser apegar a August e começa a desejar um final feliz para ele e apesar de ter, não era bem esse, a história é baseada em fatos reais em uma situação que a autora teve de passar com os filhos diante de uma garotinha com a deficiência facial que August tem no livro, a cena é até reconstruída no livro.

O livro tem o título que o melhor define “Extraordinário” (No Original “Wonder”), não é preciso acrescentar muita coisa.

Ah só mais uma coisa, eu vi muita gente fazendo comparações com “A culpa é das estrelas” NÃO por favor não façam isso, Extraordinário e totalmente diferente e na minha opinião muito melhor que ACEDE, não vou me estender nesse assunto, mas não são livros comparáveis.

R. J. Palacio obrigada por ter escrito esse livro que é um dos melhores que já li até agora nesse começo de ano.

E eu que antes não gostava de livros com crianças como protagonistas, esse já é o segundo que me apaixono.

9 Comentários

  1. Eu já queria ler o livro, e pelo o que você falou, estou com mais vontade ainda! Amei o blog..
    bjus
    http://nicolyrosa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ai, depois do que você falou tá difícil conter a vontade de ir correndo comprar pra mim, viu? <3

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  3. Num mundo onde o preconceito impera, deve ter sido difícil para August seus primeiros dias na escola.

    Bye da Pah
    Livros Estrelas

    ResponderExcluir
  4. Comprei esse livro hoje, to louca pra começar a ler e sua resenha me deixou com mais vontade ainda! Descobri seu blog hoje e amei! Você escreve muito bem! Se quiser dá uma passada no meu blog :) http://bolinhosliterarios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Muito bom! Me devolve o livro >:( ram! Quero ler também uahauha

    ResponderExcluir
  6. Devolvo nada, foi presente namorado!

    ResponderExcluir
  7. Esse livro tá minha lista de leituras, acho que é um dos que não vão poder faltar de jeito nenhum. Já tinha lido umas resenhas a respeito e gostei especialmente da tua, pela delicadeza e a forma como nos apresenta vários dos personagens.

    P.S: Acho que vai ser difícil comparar A culpa é das estrelas com qualquer outro livro.

    www.reticenciando.com

    Milhões de beijos

    ResponderExcluir
  8. Esse livro é uma das prioridades desse ano, quero muito lê-lo. Ótima resenha, beijos

    http://nerdicesdeumagarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Gostei do livro e sim extraordinário é um livro diferente, principalmente por lidar com crianças, enfim que bom que a escritora soube desenvolver a ideia da estória do melhor modo, agradando aos leitores.

    http://enfimshakespeare.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

E você o que achou?